segunda-feira, 27 de março de 2017

Vielas em Estocolmo



Juntar grana, planejar e meter o pé. #repeat

Meus últimos anos foram basicamente isso aí: juntar cada realzinho, abrir mão de saída com amigos, deixar de assistir aquele filme cinema e deixar de comprar aquela camisa maneira... Tudo para que em janeiro, durante minhas férias, eu pudesse conciliar essa paixão que é viajar a essa loucura que é a viela de roda em minha vida. Pois bem, nessa brincadeira eu já consegui chegar em Gales, França, Suíça e Alemanha. Perrengues? Sim, sempre. Frio absurdo? Lógico. Estresse em relação ao transporte do meu instrumento? Claro. Pobreza ao retornar ao Brasil? ÓBVIO. Mas pergunta se eu me arrependo? (nope). 



Dessa vez eu fui conscientemente mais pra cima, não deixei a vida me levar para só então eu ver quem estaria pelo país escolhido. Dessa vez eu escolhi alguém que eu venho admirando há pouco mais de dois anos; e deixei para ver o que o país teria a me oferecer quando estivesse lá. E olha, a Suécia não decepcionou. Nem Johannes.

No mês de janeiro tive o prazer de experimentar muitas coisas pela primeira vez: viajar num navio, ver a aurora boreal, estar o mais longe possível de casa... Já a aula com alguém que eu admiro, apesar de não ser uma primeira vez, teve esse gostinho também.  Digo isso porque tive a sorte de estudar com Johannes Geworkian Hellman, vielista das fantásticas bandas Symbio (na realidade um duo sanfona + viela) e Garizim (apenas responsável por dois dos melhores CD's folk que eu já tive a sorte de ouvir na vida). Eu já tenho alguma experiência com essas aulas intensivas que eu arrumo mundo afora, e se tem uma coisa que eu tento manter em mente é que a grande sacada de encontros como esse é você saber registrar e observar o que está sendo passado lá na hora para depois, em seu tempo, deixar tudo sync in e trabalhar com calma. Dessa vez não foi diferente. A quantidade de informações que Johannes transbordava era realmente impressionante, cada segundo em suas aulas valeu a pena e eu terei trabalho pro resto da vida. 

Nosso trabalho durou duas tardes inteiras na Royal College of Music, onde Johannes fez a gentileza de agendar uma sala. Falando em gentileza, devo ressaltar que esse grande vielista não para quieto nunca, estando sempre entre gravações e shows, o que torna os espacinhos de sua agenda bem concorridos. Fora isso, Johannes estava passando por um período conturbado de sua vida devido ao falecimento de seu pai... Serei eternamente grato por ele ter tirado um pouco de seus dias, - num fim de semana, aliás - para me dar atenção. Foram dois dias que valeram por anos, tamanha bagagem que eu trouxe de volta para trabalhar.

Fica aqui o registro de mais um divisor de águas nessa minha estrada. 



2 comentários:

  1. Acabei achando seu blog por acaso, mas olha, me interessei muito pelo o instrumento, eu tocava saxofone desde os 12 anos mais ou menos (atualmente tenho 18), mas acabei parando. Hoje acabei vendo um vídeo sobre esse instrumento a Viela de Roda, e cara, achei o som belíssimo (gosto bastante de folk e culturas medievais). Enfim, boa sorte com o blog, vou continuar acompanhando daqui O/

    ResponderExcluir
  2. Estamos construindo viela de roda em Cosmópolis - SP.
    Confira o som: https://www.youtube.com/watch?v=hmwswImxKd0

    ResponderExcluir